No início do ano de 2021 o frete marítimo de produtos vindos da China para o Brasil disparou. Comparando o valor com o praticado um ano antes, o aumento foi de cinco vezes. O frete chinês para outros países também subiu, porém, não chegou a quintuplicar.

Era esperado que, com a pandemia, a necessidade de compra de produtos diminuísse, o que não aconteceu. Muitas cargas China x Brasil foram canceladas pelas empresas brasileiras, mas o número de pedidos se manteve, porém, mudando o foco: passaram a ser produtos relacionados à home office. Ficando mais tempo em casa, as pessoas passaram a ver novas necessidades, e as empresas não conseguiram suprir todas elas.

Durante a pandemia, muitos contêineres foram embarcados, mas as empresas ao redor do mundo não conseguiam, devido às suas condições financeiras, desembarcar as cargas nos portos. Aquelas que conseguiam, muitas vezes não podiam produzir devido ao fechamento das fábricas pelo lockdown.

Os pedidos de cargas voltaram a subir ao mesmo tempo em que o mercado se reaquecia na Europa e nos Estados Unidos. Hoje, estima-se que todos os navios cargueiros do mundo estejam em uso. As empresas de navegação aumentaram a capacidade de algumas de suas rotas, mas não foi o suficiente para atender as demandas existentes.

Devido ao aumento no preço do frete, produtos chineses, ou que tenham componentes chineses, devem sofrer aumento nos próximos meses. Aqueles de baixo valor agregado devem ser os mais prejudicados, pois dificilmente conseguirão repassar os custos aumentados pela alta do dólar e do frete, e acabarão por absorver o prejuízo. Transportadores marítimos têm cobrado taxas de prioridade para reduzir os prazos, o que reflete mais no preço final para o consumidor ao redor do mundo.

É esperado que até o mês de março o cenário melhore, mas, ainda assim, não estará de volta ao normal, portanto, é necessário que o mercado se organize em relação às ofertas e demandas de materiais, para que os impactos sejam minimizados.

Fonte:

https://www.portosenavios.com.br/noticias/navegacao-e-marinha/frete-china-brasil-dispara-e-deve-encarecer-produtos-importados#:~:text=O%20frete%20mar%C3%ADtimo%20na%20rota,importadores%20e%20empresas%20de%20navega%C3%A7%C3%A3o.

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/opiniao/colunistas/yohanna-pinheiro/frete-maritimo-da-china-dispara-pressiona-empresarios-e-deve-encarecer-importados-1.3033503

Escreva um comentário